O que é Field Trip?

 

Segundo Santos (2017)* “Field Trip” é um método de aula também conhecido como “education outside the classroom”, “prática de campo”, “trabalho de campo”, “aula de campo”, “excursão”, “visita”, “estudo de campo”, “viagem de estudo”, “estudo do meio” e “atividades de campo”.

 

Esse método pode envolver desde visitas a museus, centros culturais, empresas, parques até viagens de estudos mais longas.

 

É um trabalho acadêmico no qual o estudante se desloca para um ambiente diferente dos espaços da escola e utiliza os sentidos humanos para poder perceber e apreender as informações do espaço visitado e correlacioná-las vis-à-vis o conhecimento adquirido previamente. O aprendizado será decorrente da vivência e da prática pelo aluno nas atividades de campo.

 

Refletindo sobre a pirâmide de aprendizagem na figura abaixo de William Glasser esse método abrange praticamente todos os processos pelos quais aprendemos .

Ainda segundo Santos (2017)* a estrutura de aplicação da Field Trip passa por 4 etapas: A primeira de PERCEPÇÃO na qual o aluno é incentivado a perceber, observar, compreender identificar, caracterizar e descrever a realidade que o cerca. Na etapa seguinte, de ENTENDIMENTO DO PROBLEMA, o estudante irá coletar no campo, através de suas observações, as informações necessárias para o entendimento do problema e assim iniciar a etapa de BUSCA DE CAMINHOS para resolvê-lo e chegar na etapa final na qual descreverá e apresentará a SOLUÇÃO para os problemas identificados.

 

O professor ao optar por aplicar a atividade em equipes ou grupos passa a associar a prática da Field Trip à aprendizagem colaborativa incluindo todos métodos voltados para aprendizados em grupo inclusive a aprendizagem cooperativa. A cooperação tem como princípios a responsabilidade individual, a interdependência mútua, a utilização correta de habilidades interpessoais e a autoavaliação para que o trabalho em equipe ocorra de forma adequada. (Santos, 2017).

 

O professor atua como um facilitador e orientador para que os alunos, de forma individual ou em grupo, possam realizar as tarefas definidas de forma adequada.

 

Recomenda-se que o plano de aula seja elaborado com a identificação das etapas de execução das atividades de campo, desde a transmissão prévia do conhecimento aos alunos até a forma de execução das atividades sejam individuais ou em grupo e a etapa de compartilhamento, entre os integrantes da turma, dos resultados encontrados e associação com os conhecimentos transmitidos. (clique aqui para ver o plano de aula que elaboramos para a nossa Field Trip relatada a seguir)

 

*SANTOS, Nálbia de Araújo. Práticas de campo: desenvolvendo uma atitude científica nos estudantes. In: LEAL, Edvalda Araújo, MIRANDA, Gilberto José e NOVA, Silvia Pereira de Castro. Revolucionando a Sala de aula: Como envolver o estudante aplicando as técnicas de metodologias ativas de aprendizagem. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2017. Cap. 15, p. 201-213.

Clique aqui e baixe o plano de aula.

Um caso prático de Field Trip

 

No dia 11 de junho de 2019 estivemos no Shopping Bossa Nova Mall para realizar uma aula de metodologia ativa em Field Trip. O tema foi Empreendedorismo e foi direcionado aos alunos do Mestrado de Administração do IBMEC inscritos no curso de Docência Contemporânea ministrado pela professora Ana Celano. Era véspera do dia dos namorados e o shopping estava decorado para data. Podemos dizer que foi uma aula com clima de romance.

 

O primeiro passo foi falar de empreendedorismo com o grupo. Utilizamos o espaço de circulação do Shopping para aplicar o conteúdo. Utilizamos slides em um tablet como direcionamento, mas disponibilizamos telas impressas em tamanhos menores (que cabiam na palma da mão) para que o participante acompanhasse as explicações. Disponibilizamos também os slides no endereço www.gustavopassos.com/empreendedorismo , assim o participante poderia utilizar o próprio celular como apoio. A apresentação ficou por conta de Fernando Lavrado e Gustavo Passos.

Veja o que o Fernando falou sobre a atividade:

O segundo passo foi colocar em prática o aprendizado. Foi atribuída a tarefa de identificar dentro do Shopping Bossa Nova Mall os três tipos de empreendedorismo citados na apresentação: Empreendedorismo de Negócios, Intra-Empreendedorismo e Empreendedorismo Social. O grupo foi dividido em 3 equipes onde cada equipe representava um tipo de empreendedorismo e o identificaria no Shopping.

 

O terceiro e último passo foi a apresentação por parte das equipes. Cada equipe apresentou o que identificou como empreendedorismo ou novas oportunidades dentro do Shopping Bossa Nova Mall. 

 

A dupla Victor e Nicole falou sobre Intra-Empreendedorismo, eles citaram as oportunidades dentro do espaço de Co-working que o shopping oferece e que poderia ter serviços de vendas de lanches e refrigerantes em máquinas para dar maior comodidade ao usuário.

 

A dupla Ana e Carlos falou da oportunidade de Empreendedorismo Social com objetivo de "quebrar" a visão do turista em relação às comunidades carentes com exposição de trabalhos artesanais elaborados por moradores dessas comunidades.

Finalizando,  o trio Cláudia, João e Leonardo falou do Empreendedorismo de Negócios da Baggagio. Por ser uma empresa de venda de malas, bolsas e acessórios e estando no aeroporto, é uma excelente aplicação à marca, assim como para a locadora de veículos Movida.

​Depoimento dos participantes

João Guilherme

      Nosso objetivo era de dar sugestões de melhorias para os negócios presentes  ou mesmo o desenvolvimento de novos negócios no Bossa Nova Mall. Seguindo um ambiente de Class without walls realizamos essa atividade no Shopping

      Participaram desta atividade o Professor e os alunos do mestrado na cadeira de Docência, além dos comerciantes e clientes do Bossa Nova Mall. Utilizamos o método de Field Trip, onde foi estabelecido um objetivo e discutido o seu resultado ao final.

       O resultado foi muito satisfatório, com a inclusão do referencial teórico ao final da atividade, foram discutidas as sugestões e visões dos participantes de forma bem interessante. A comprovação do resultado se dá através deste próprio feedback sobre uma atividade que ocorreu há umas 3 semanas e ainda permanece latente.

      Parabéns pela condução e apresentação deste método de ensino.

Victor Betini

   A aula de empreendedorismo no Bossa Nova Mall foi transformacional. Graças ao método Field Trip, tivemos a chance de pesquisar e identificar oportunidades na prática, o que nos proporcionou uma visão mais completa sobre os desafios enfrentados pelos empreendedores que lá atuam. As oportunidades de novos negócios e de evolução dos negócios atuais são fantásticas, podendo causar impactos reais no dia a dia das pessoas que frequentam, compram e vivem do Bossa Nova Mall.
 

Cláudia Ramos

    Participar da aula sobre Empreendedorismo seguindo a metodologia "field trip" foi uma experiência bastante enriquecedora e estimulante! Gustavo Passos e Fernando Lavrado nos proporcionaram a oportunidade de aprender conceitos de Empreendedorismo de uma forma inovadora, fora dos limites da sala de aula - mais especificamente, no Uber Lounge do Bossa Nova Mall, shopping do Rio de Janeiro com vista para a Baía de Guanabara. Depois da turma ter conhecido o conteúdo teórico, o grupo foi dividido em duplas para uma atividade prática. O objetivo era selecionar uma loja ou um serviço oferecido pelo shopping e propor uma iniciativa empreendedora para tal, o que colaborou para a aplicação e tangibilização dos conhecimentos adquiridos.

   Sem dúvida, foi um momento inesquecível e inspirador para ações educacionais que desenvolverei futuramente.